O maestro

Acácio Aires Moreira da Silva nasceu na freguesia de São Pedro de Nogueira no Concelho de Vila Real, em Trás-os-Montes, no dia 13/10/1958. Descendente de uma família de músicos amadores cedo despertou o seu interesse para a Música. No entanto, foi em França, onde vivia com seus pais, que aos treze anos recebeu as primeiras lições ministradas pelo seu Avô paterno Manuel Maria e pelo seu tio Álvaro Moreira da Silva.
Frequentou o Conservatório de Música de Roubaix nas disciplinas de Educação Musical com a professora Madame Vantouroute e Trompete com o Professor Despès.
Em 1974, regressou a Portugal, interrompendo assim os seus estudos musicais, continuando, no entanto, a sua vocação na Filarmónica de Nogueira como Trompetista. Aos 17 anos, concorre à Banda Sinfónica da Guarda Nacional Republicana e assim transfere-se para Lisboa com intenção de continuar os seus estudos. Na Banda Sinfónica da G.N.R. teve como professores o Sargento-ajudante Manuel Rodrigues, em Barítono e Trombone de Canto e o Sargento-ajudante Fausto Dias, em solfejo. Entretanto, concorre ao Conservatório Nacional de Lisboa onde prossegue o seu curso. Neste Conservatório concluiu os Cursos de Viola de Arco, Composição, Educação Musical, Acústica, História da Música e classes de conjunto (Coro e Orquestra de Câmara) com os seguintes Professores: Fernando Afonso, Alberto Nunes, Cristopher Boochman, Palmira Macias, Salomé Leal, Noémia Borges, Fernanda Mela, Teresita Marques e Fernando Eldoro. Estudou Trombone de Varas com o Prof. Emídio Coutinho.
Foi, até 2005, Sargento-chefe Músico, chefe de naipe dos Bombardinos, Solista e professor na Banda Sinfónica da G.N.R.
Em 1982, foi convidado como professor pela Escola de Musica e Bailado de Linda-a-Velha leccionando as disciplinas de Formação Musical, Coro, Viola de Arco e Violino, onde permaneceu até 1995. Em 1990, em representação da mesma Escola e da Câmara de Lisboa, com apoio do Ministério de Educação, deslocou-se a Paris com vinte alunos num intercâmbio de escolas com Música incluída nos seus cursos, afim de conhecer várias escolas modelo e de participar num evento cultural com o Tema “A criança, a rua e a Musica” e participar num grande Concerto Musical produzido exclusivamente por crianças. Foi Prof. na Escola de Musica Leal da Câmara. No Conservatório Regional Silva Marques foi Prof. de Formação Musical e Director Pedagógico, entre 1997 e 2000.
Como Violetista, fez parte da Orquestra Sinfónica Juvenil, da Orquestra de Câmara Colégio Músicum e colaborou ainda com: Orquestra das escolas particulares, Orquestras de Ópera, as ex. Orquestras Sinfónica e Ligeira da Rádio Difusão Portuguesa, até a sua extinção, e Orquestra Sinfónica Portuguesa.
Como Bombardino, apresentou-se várias vezes como concertista na Banda Sinfónica da G.N.R. Colaborou com as orquestras Sinfónicas da R.D.P de Lisboa e Porto Orquestra Sinfónica Portuguesa (Fundação São Carlos), Orquestra de Ópera, Orquestra da Fundação Calouste Gulbenkian.
Começou a dirigir aos 18 anos a Banda de Nogueira (sua terra natal). Mais tarde a Banda da Casa de Trás-os-Montes em Lisboa, Sociedade União Musical Alenquerense, colaboração esporádica com as Bandas de Freamunde, Azeitão e de Sacavém, Coral de Linda-a-Velha e da Renault Portuguesa.
Foi Maestro da Sociedade Filarmónica Cartaxense, do Grupo de Cavaquinhos e responsável pela Escola de Música entre 1996 e 2011. É Maestro da Banda da Associação Filarmónica União Lapense e responsável pela sua Escola de Música desde 1990.
É Mestre em música (Direcção de Orquestra de Sopros) pelo Instituto Superior Jean Piaget tendo efectuado o Recital final com a Banda da GNR e a Tese sobre o tema “José da Silva Marques, o Músico e a sua obra".

Comentários

  1. Um grande Maestro!
    O melhor da região de Santarém (:
    beijinho, Catarina Seia (trompete)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Um dia especial...

Encontro de Bandas - Casaínhos (Loures)